‘No Submundo de Moscou’: Uma mistura de Sherlock Holmes e Stanislavsky na Rússia pré-revolucionária

Investigação e aventura se entrelaçam no novo filme do diretor russo Karen Shakhnazarov, inspirado em fatos reais e obras literárias.

O renomado diretor russo Karen Shakhnazarov desembarca no Brasil para o lançamento de seu aguardado filme, “No Submundo de Moscou”, que promete transportar os espectadores para a intrigante Moscou do final do século XIX. A trama, inspirada no romance “O Signo dos Quatro”, de Arthur Conan Doyle, e em relatos jornalísticos da época, é uma produção que mistura elementos de suspense, investigação e teatro.

“O filme surgiu da ideia de combinar a prosa de Vladimir Guilyarovsky, que descreveu brilhantemente a Moscou pré-revolucionária, com as histórias de Arthur Conan Doyle. É um filme de entretenimento. Eu nunca havia feito um filme de detetive antes, embora tenha trabalhado em muitos gêneros diferentes. Eu queria fazer algo que fosse aventuresco, interessante e com um bom final, para que o público relaxasse e aproveitasse o espetáculo em si”, revela Shakhnazarov.

A trama central de “No Submundo de Moscou” gira em torno da investigação do diretor de teatro Konstantin Stanislavsky e do repórter Vladimir Guilyarovsky sobre um misterioso assassinato no lendário bairro Khitrovka, no início do século XX. O filme se baseia em um evento histórico real, ocorrido em 1902, quando o Teatro de Arte de Moscou iniciou a produção da peça “Ralé”, de Maksim Gorky.

Durante um passeio pela região sombria de Khitrovka, o jornalista Guilyarovsky conduz Stanislavsky por tavernas e cortiços locais, culminando na descoberta do corpo do comerciante Raja, um misterioso silk indiano. A partir desse ponto, a trama toma rumos inesperados, com os protagonistas assumindo a investigação por conta própria.

"No Submundo de Moscou": Uma mistura de Sherlock Holmes e Stanislavsky na Rússia pré-revolucionária (Foto: Divulgação)
“No Submundo de Moscou”: Uma mistura de Sherlock Holmes e Stanislavsky na Rússia pré-revolucionária (Foto: Divulgação)

Mikhail Porechenkov, intérprete de Vladimir Guilyarovsky, compartilha sua satisfação ao abordar o filme: “É ótimo que personagens icônicos tenham sido escolhidos para a história, com a trama se desenrolando de forma tão arrojada em torno deles”. Porechenkov destaca a complexidade da produção, que envolve cenas de lutas, perseguições, locações variadas e até mesmo recriações minuciosas da vida nos cortiços de Moscou, descritos detalhadamente por Guilyarovsky em seus livros e ensaios.

O roteiro, assinado por Elena Podrez, Ekaterina Kochetkova e o próprio Karen Shakhnazarov, mergulha na atmosfera do subúrbio de Moscou na virada do século XIX para o XX, revelando os contrastes entre a vida confortável na parte rica da cidade e os submundos obscuros onde crimes eram cometidos e ocultos.

“No Submundo de Moscou” não apenas narra uma trama cativante, mas também proporciona uma imersão visual e histórica na sociedade moscovita da época. A produção meticulosa buscou recriar fielmente os detalhes da vida cotidiana, apresentando um retrato autêntico e envolvente da Rússia pré-revolucionária.

Com o lançamento marcado para o dia 21 de março, o filme promete ser uma experiência cinematográfica única, unindo a maestria de Karen Shakhnazarov à rica tradição literária e jornalística que inspirou sua criação. Prepare-se para desvendar os mistérios de Moscou e embarcar em uma emocionante jornada no submundo da capital russa.

Leia também: