Polêmico ‘Favela Wars’ ganha fase inspirada no Morro do Borel, no Rio

Game brasileiro tem mais de 150 mil jogadores cadastrados e retrata a guerra entre policiais e traficantes em 2041

Com mais de 150 mil jogadores cadastrados, o game brasileiro “Favela Wars” acaba de lançar uma nova fase, inspirada no Morro do Borel, comunidade localizada na Tijuca, bairro da zona norte do Rio de Janeiro. Há alguns meses, o Complexo do Alemão também foi inserido ao jogo.

Entre os destaques deste novo mapa estão as vielas e ruas estreitas e escuras, fato que agrada aos jogadores de games de estratégia. Além disso, chama atenção a quadra de uma tradicional escola de samba totalmente destruída e incendiada. Vale lembrar que o “Favela Wars” se passa em 2041, retratando um futuro onde a guerra entre traficantes de drogas e policiais destruiu a cidade do Rio de Janeiro.

Novidades na jogabilidade

A “Action Camera” é mais uma inovação do game. Trata-se de uma funcionalidade específica para o tiro final, no momento em que a câmera “desce” para o ambiente de combate, colocando o jogador no meio do tiroteio. Assim, ele assiste a cena do “ombro” do assassino. No modo “tela cheia”, a sensação do momento é apresentada, dando mais emoção à jogabilidade de “Favela Wars”.

Outro recurso lançado é a barra fixa no topo do game, que permite ao usuário trocar, a qualquer momento, entre o game e o quartel general (até mesmo durante a guerrilha). Por exemplo: enquanto está no lobby esperando um inimigo, pode ir até a loja e se equipar melhor.

Quem tinha problemas ver o uniforme de uma das suas unidades sem clicar, pode ficar tranquilo. A partir de agora, no lugar do ícone da facção aparece o ícone de uniforme, que cada um tem o seu símbolo.

Segundo a Nano Studio, desenvolvedora do game, um recurso que enriqueceu o jogo foi o “Tiro Certo”. Se antes o jogador via a distância que o adversário estava, a partir de agora, o gamer também pode saber quais são as reais chances de acertar o alvo. Com isso, poderá planejar se vale a pena realizar os disparos.

Origem do jogo

A inspiração para o game surgiu em 2011, quando Dan Eisenberg, CEO da Nano, passou por um momento marcante na Linha Vermelha, umas das principais vias expressas do Rio de Janeiro. Dan ficou preso no trânsito, sozinho, em plena luz do dia, próximo a um tiroteio entre bandidos e a polícia. Naquele dia, a solução que muitos motoristas encontraram foi sair de ré em meio ao engarrafamento e fugir da sensação assustadora onde o silêncio era interrompido pelo som de tiros muito próximos.