Fernanda Pontes revela como é apresentar o 'Planeta Brasil' dos Estados Unidos

Jornalista e atriz contou ao Almanaque da Cultura sobre sua carreira e próximos planos profissionais

A carreira de um jornalista é sempre bem corrida, com muitos afazeres e mudanças. Na vida de Fernanda Pontes aconteceu exatamente isso. De férias em Orlando, nos Estados Unidos, ela descobriu que estava grávida de seu filho Matheus e acabou recebendo um convite para apresentar o programa “Planeta Brasil”, transmitido pela Globo Internacional para 26 países. Há dois anos morando no país, ela faz sucesso com a produção e diz que a produção “uma escolha maravilhosa na vida minha vida”.

Há 11 anos no ar, o “Planeta Brasil” já teve como apresentadora a jornalista Patrícia Poeta. Sobre ele, Fernanda fala com carinho. “Abracei com tudo a oportunidade que estavam me dando de presente e a confiança que depositaram em mim. Não é nada fácil, mas tudo se torna simples quando se ama o que faz. Uma pena não passar no Brasil”.

Fernanda também já apresentou a TV Globinho em 2009 e, além disso, atuou em várias novelas da Rede Globo, como “Começar de Novo” (2004), “Da Cor do Pecado” (2004), “Malhação” (2006), “Gabriela” (2012) e “Flor do Caribe” (2013). E comandou o “Brazilian Day” (evento da Rede Globo para brasileiros que moram nos Estados Unidos)  no último dia 6 de setembro. Em um bate-papo com o Almanaque da Cultura, ela fala do seu trabalho atual, de como foi apresentar para as crianças, como é ser atriz e sobre seus planos para o futuro, que incluem até uma peça de teatro em solo americano.

Almanaque da Cultura: Como foi a transição de saída do Brasil para Orlando para trabalhar e morar fora do país?
Fernanda Pontes: Na verdade, eu já tinha uma casa em Orlando. Aproveitei minhas férias e vim dar uma reciclada no meu inglês e quis fazer cursos na minha área de Jornalismo. Acabei descobrindo que estava grávida e optei em ter o Matheus aqui nos EUA. Neste meio tempo, fui convidada para apresentar o “Planeta Brasil”, pela Globo Internacional. A vida aqui é maravilhosa, tenho aprendido muito.

Almanaque da Cultura: Como é produzir e apresentar um programa para brasileiros em um país estrangeiro? Quais são as maiores dificuldades de adaptação?
Fernanda Pontes: Além do meu crescimento profissional, cresci muito como pessoa fazendo o programa. Em cada reportagem que faço, aprendo e levo comigo a força de tantos brasileiros que chegaram aqui nos EUA com tanta dificuldade e hoje são pessoas de sucesso. Eu escrevo minhas pautas, gosto de produzir também, crio junto com o personagem da matéria, decupo tudo, até chegar na edição. Passo noites em claro, mas se você me perguntar se eu quero mais, te digo que sim, quero muito mais e ainda tenho muita coisa que irei aprender e conquistar. O meu maior desafio é mostrar para essas pessoas que quando você acredita e vai em busca dos seus sonhos tudo se torna possível Fico muito feliz de ser a porta voz delas em um país diferente do delas. É maravilhoso o carinho que recebo nas ruas e através das redes sociais.

Almanaque da Cultura: Qual a história mais curiosa sobre o programa que você pode contar?
Fernanda Pontes: São muitas histórias incríveis, mas realmente presenciar o reencontro de uma mãe e filha que ficaram sem se ver durante 15 anos, foi muito emocionante. Acabo me apegando às histórias, às pessoas, sorrio e choro junto delas. Cheguei a ficar uma semana de cama, quando gravei os especiais de Natal e Ano Novo, pois eram matérias muito fortes, que senti na própria pele. Meu lado emocional ficou muito abalado, mas faz parte do meu trabalho.

Almanaque da Cultura: Você continua querendo fazer novelas ou vai se dedicar apenas ao “Planeta Brasil”?
Fernanda Pontes: Enquanto estava aqui nos EUA, recebi dois convites para voltar a atuar em novelas, mas estou focada na minha carreira como apresentadora. Sou muito grata a tudo que estão fazendo por mim na Globo Internacional. Agora, realmente, não me vejo fazendo novela. Estou muito feliz e realizada no trabalho que tenho feito.

Almanaque da Cultura: O que você prefere: atuar ou ser apresentadora? Existe diferença entre os dois? Você precisou fazer curso para ser apresentadora?
Fernanda Pontes: São duas coisas bem diferentes. Eu me formei em Jornalismo e sempre amei apresentar, ir atrás de boas histórias, porque sou muito curiosa. Eu comecei no teatro, fiz muitas peças e em outubro volto aos palcos, a convite da Bis Entertainment, com o Thiago Martins, no espetáculo “O Grande Amor da Minha Vida”. Estou muito feliz com a oportunidade de fazer teatro nos EUA. Sempre estudei muito e continuo estudando, o segredo é nunca se acomodar e sempre buscar fazer o melhor.

Almanaque da Cultura: Como foi apresentar e participar do Brazilian Day? O que acha do evento?
Fernanda Pontes: Foi o meu segundo ano. Já estava me sentindo em casa. Escutar milhares de brasileiros gritarem meu nome e pedir para tirar fotos, foi muito gratificante. É simplesmente maravilhoso ver o brilho nos olhos e os sorrisos de cada brasileiro que está fora do país há muito tempo, ou até mesmo os que chegaram a pouco tempo, mas tiveram a oportunidade de matar um pouquinho da saudade através desta festa maravilhosa. Quero estar lá novamente em 2016.

Almanaque da Cultura: Durante o tempo que você apresentou o TV Globinho precisou fazer algum teste para se adequar ao linguajar das crianças? Como era a receptividade do público infantil? Como foi o trabalho nesse período?
Fernanda Pontes: Até hoje recebo mensagens de mães que adoravam assistir a TV Globinho com seus filhos. Foi uma época maravilhosa. Nossa, como eu recebia cartas! Amava trabalhar com o público infantil. Sempre fui louca por criança. Assistia tanto o programa da Xuxa quando era criança que fui usando o que me lembrava para me adequar ao formato da TV Globinho. Adoro quando tem matérias no Planeta Brasil com crianças, acho que me divirto mais que elas.